sábado, 12 de março de 2011

SECRETÁRIO DA EDUCAÇÃO: PROGRESSÃO É REDISCUTIDA, MAS NÃO SERÁ EXTINTA

Fonte: Agência Estado
Ribeirão Preto - O secretário estadual da Educação de São Paulo, Herman Voorwald, disse ontem (11), em Ribeirão Preto, que a extinção da progressão continuada na rede está totalmente descartada. "Essa é a grande questão-chave, que a própria rede coloca, não no sentido de eliminá-la, mas de rediscuti-la sob a ótica de torná-la eficiente e viabilizar que os estudantes saiam efetivamente alfabetizados e com o conteúdo aprendido durante a sua formação", disse.
Segundo ele, são discutidas ainda com os profissionais da educação propostas de mudanças do atual ciclo de avaliação do ensino fundamental, uma nova política salarial e o Ensino Médio Integrado (aumentaria de três para quatro anos, dando ao estudante a possibilidade de optar por um curso técnico profissionalizante simultâneo).
Voorwald e seu secretário-adjunto João Cardoso Palma Filho participaram hoje na cidade do interior paulista da sexta reunião com professores e profissionais da rede de ensino do Estado, debatendo as propostas de reorganização da educação. Ao todo, eles farão o encontro nos 15 pólos do Estado, dialogando com a categoria, formada por cerca de 5,3 mil escolas.
Voorwald informou que a secretaria preparou um documento, intitulado 'Por Uma Educação de Qualidade', passado às escolas, que respondem sobre a progressão continuada. A meta não é encerrar o que está acontecendo, mas construir a nova proposta. A secretaria propõe a mudança dos atuais dois ciclos de avaliação, que é de 5 e 4 anos (na prática, no quinto e no nono ano), para um de três, ou seja, 3, 2 e 4 anos. "Nossa proposta é consolidada na garantia da recuperação logo", avisa o secretário.
Porém, nas reuniões de trabalho dos polos, surgiu outra alternativa: um quarto ciclo de avaliação (3, 2, 2 e 2). "Qualquer que seja o número de ciclos, o mais importante é que o estudante aprenda", disse Voorwald, citando que nenhum pólo falou em extinção, mas em melhoria da progressão continuada. A definição só valerá a partir de 2012.

Um comentário:

  1. Prof. Carlos - Vale do Paraiba13 de março de 2011 08:04

    Não vejo problemas em manter os ciclos como estão, o que precisa ser revisto são:

    1 - O processo inicial de alfabetização dos alunos;

    2 - Fazer com os professores despertem já nas primeiras séries o gosto pela leitura;

    3 - Trabalhar muitas situações problemas em matemática e também muita conta;

    4 - Aprimorar o processo de recuperação urgentemente;

    5 - E por fim capacitar melhor os professores da séreis inicias, capacitação permamente.

    6 - Fazer com que os pais realmente participem da vida escolar dos filhos, pricnipalmente nas séries inicias;

    7 - Durante todo o período escolar investir muito na leitura (tanto dos professores como dos alunos) tem professor que não gosta de ler, como vai fazer o aluno gostar?

    8 - Tarefa, tarefa, tarefa.

    9 - Sala com no máximo 15 alunos para que o professor possa se dedicar pra valer.

    10- Incentivos aos professores que conseguirem atingir bons resultados nas séries iniciais não falo nem em bônus mas não pode ser uma viagem cultural com sua turma? um bom curso de pós graduação? e por ai vai....

    Acredito que antes de mudar os ciclos temos de rever essas ítens, de nada vai adiantar mudar os ciclos se não mudar a forma de ensinar.

    Abraços,

    Carlos - Vale do Paraiba.

    ResponderExcluir