quarta-feira, 16 de março de 2011

Aluno joga carteira escolar em professora no interior de São Paulo

Se bobear os pais vão falar que foi uma brincadeira de criança. Nesse momento o governo também deveria estabelecer uma intervenção para dar toda a assistência para a professora, haja vista que se fosse com o aluno essa seria a ação do governo e que não esta errada. É uma pena apenas que essa preocupação não ocorra de forma imediata quando isso acontece com os profissionais da educação. A professora agiu corretamente em realizar o boletim de ocorrência. A escola não existe para punir, mas não pode passar imune as essas situações que são pontuais e extremas.
Fonte: 16/03/2011 - 09h21 - Agência Estado
Uma professora de matemática ficou ferida ontem após um de seus alunos arremessar uma carteira escolar contra ela, dentro da sala de aula, em uma escola estadual de Guaimbê, na região de Marília, no interior de São Paulo.
A agressão ocorreu depois que a professora chamou a atenção do aluno. Ela pediu que o adolescente, de 16 anos, parasse de conversar durante a aula e, ao abrir a porta da sala para chamar a diretora, o jovem a xingou e arremessou uma carteira escolar contra ela. A professora foi atingida na altura da cintura. Ela foi levada ao hospital e passa bem. O caso foi registrado na delegacia da cidade como ato infracional e lesão corporal.

Leia a íntegra da nota da secretaria

"A Secretaria de Estado da Educação lamenta a agressão praticada por um aluno contra a professora de classe na Escola Estadual José Belmiro da Rocha, em Guaimbé. É importante esclarecer que este foi um caso isolado que não reflete o cotidiano da unidade. A escola realiza trabalho permanente de prevenção a conflitos, proposto pelo programa Sistema de Proteção Escolar da Secretaria na presença de um professor mediador. Também aos finais de semana o corpo estudantil, familiares e a população do entorno participam de oficinas gratuitas oferecidas na unidade pelo Programa Escola da Família a fim de promover o fortalecimento dos laços entre a comunidade e a escola.

Todas as medidas em relação ao estudante agressor já foram tomadas. O conselho escolar determinou a suspensão do adolescente por seis dias. A professora agredida ficará afastada de suas funções para recuperação."

Para Reflexão, vale a pena ver a matéria:

http://www.youtube.com/watch?v=S5ENpcGnRKs&feature=player_embedded

4 comentários:

  1. Prof Carlos Vale do Paraíba16 de março de 2011 12:50

    Fiquei muito sensibilizado com essa matéria.

    Acredito que a SEE deve tomar medidas urgente em toda a rede para que esse tipo de violência não ocorra mais e além disso dar toda a assistência a professora em questão.

    Quero aproveitar e fazer um outro comentário, precisamos urgentemente equacionar um outro tipo de violência: a má vontade dos alunos em prestarem atenção as aulas (não fazer as tarefas, os exercícios, as provas, simulados...) acho que isso é um tipo de violência silenciosa que aos pocuos vai minado a auto estima dos professores.

    Deixo meu abraço a professora agredida e a todos os profissionais da educação que diariamente sofrem algum tipo de violência.

    Carlos - Vale do Paraíba

    ResponderExcluir
  2. Será que uma punição de 06 dias, irá minimizar as circunstâncias do ocorrido, caso no boletim de ocorrência constasse dano ao patrimônio, além de lesão corporal as coisas mudariam ou não? Parece-me que no caso de dano ao patrimônio público a punição seria muito maior.

    ResponderExcluir
  3. fico revoltado em ouvir dizer que isto não faz parte do cotidiano da escola, quando vejo em outras reportagens falando que policias e conselho tutelar estão diariamente dentro desta escola por causa dos alunos, cadê a direção dessa escola? cadê o governo que não muda a lei na educação? cadê os pais que não dão educação para seus filhos? CADÊ? HEIIIIINNNN

    ResponderExcluir
  4. Isso faz sim parte do cotidiano das escolas (estão escondendo a realidade) e pergunto: Seis dias de suspensão ou de outro termo que por modismo substitui a palavra (medidas sócio-educacionais- aI, COITADINHO!) forem suficientes para melhorar a conduta de uma pessoa, suspendam e soltem todos os presidiários, até os mais perigosos, para livremente receberem tais medidas em casa. Ministério público helÕOOOOOOOOOOOOOO! ACORDA BRASIL, MAS ACORDA DE VERDADE!

    ResponderExcluir